Diferentemente dos pseudônimos, os heterônimos possuem uma personalidade própria. Autores diferentes dentro de um único autor. Nina e Danton compõem um conto romântico; Mariana é a responsável pela comunicação não verbal; Daphne é dona de um gênio forte, cria os textos mais explosivos e emocionais; Noemi é a romântica, adocicada, poetiza; Sophie constitui os textos mais técnicos, rebuscados, com certa metalinguagem; Mário é um homem solitário, romântico, político, na casa dos trinta anos e é o cronista do grupo.
joncarling:

thought collector
theswinginsixties:

Jane Fonda
joncarling:

paper birds
❝ Hoje, acordei pensativo e desnorteado. Geralmente, acordo assim, quando meus sonhos mexem comigo. O de hoje mexeu, especialmente, com meu coração. No sonho, eu tinha alguém e alguém me tinha. Eu me senti parte de alguém, ali. Era um eu adolescente. E estávamos aproveitando a casa vazia para experimentarmos preliminares. Era um misto de emoções e isso transpassou o inconsciente. Sempre tive alguma dificuldade para entender como as pessoas conseguem se relacionarem amorosamente por muito tempo. Na verdade, sempre tive dificuldade para me entender. Acho que é porque sempre, desde que me entendo vivo, analisei tudo - até para ser impulsivo, tinha que pensar antes. Sou, assim, confuso. Romântico em cada detalhe, sem ao menos ter vivido um romance de fato. Às vezes penso que quem me criou me fez assim para ver no que dava. Acho que fui uma cobaia, sei lá! Só sei que não está dando. Sonhar um sonho desses… A gente se assustava com algum barulho e eu parava bem quando minha menina estava começando a gozar. Parecia ainda melhor parar assim, deixar um algo no ar, deixar o desejo do momento prolongar. E, então, saíamos desconfiados, à noitinha, íamos para a praça e parecia que era tudo deserto, tudo escuro, mas eu podia ver seus olhos brilhando, na penumbra curta que a luz do poste permitia. Nós dois prendíamos o riso e éramos, naquele instante, cúmplices e parceiros de crime. Eu enroscava minha mão ao redor da cintura dela e parecíamos um.
Hoje, acordei triste.
Mário, há uns 7 anos.

(Source: annstreetstudio.com, via annstreetstudio)

+
❝ Cara, seguinte: Tô passando. Sou linda, eu sei. Tenho um corpo maneiro. Uso uma roupa de verão, porque moro nesse calor escaldante - uso a roupa que eu quero, também, e isso não te dá direito algum. Quer se chegar? Se chegue junto. Chegue, assim, e fale ‘licença, te achei linda, na moral. bora trocar contatos?’ E eu vou dar um like. Agora, não fique ‘latindo’ quando eu passo. Não fique me xingando achando que tá elogiando, não. Não sou um prato de comida. Acho muito sem noção ficar soltando adjetivos ao vento. Vai ganhar o que com isso? Meu desprezo e repúdio. Então, fica a dica. No próximo ‘delícia’ que soltar, cago na sua frente e mando você se deliciar com o prato.
Daphne - de saco cheio. 
ST